LuIvanike

↑ Grab this Headline Animator

quinta-feira, 30 de agosto de 2007

Estimulação... O que fazer?



Hoje me deparei com uma questão tão simples e ao mesmo tempo tão delicada. Como estimular minha filha de 1 ano e 5 meses?
Ontem fui questionada na escola sobre o fato dela ainda não falar. Ela aponta tudo que quer e chora, assim consegue chamar a atenção. Mas não fala.
No fundo sei que não preciso me preocupar, mas me preocupo. Por tudo que já aconteceu com ela, me preocupo sim. Ela tem audição perfeita (o teste da orelhinha deu perfeito), não é muda, tagarela o dia todo. Mas tagarela do jeitinho dela "ptol pitol, buuuu asa asa ucas pitol". Mas não fala nada que possa ser entendido. Não chama mamãe ou papai, não fala água ou suco...
Conversando no Orkut, na comunidade Pediatria Radical percebi que tenho falhado com mãe educadora. Não tenho estimulado minha gatinha como deveria. O fato de atender a vontade dela quando ela chora e não insistir que ela fale o que quer é um agravante para o vocabulário pobre dela. O engraçado é que quando leio livrinhos com ela falo o nome dos bichos, dos personagens e dos objetos. Ela só aponta e olha para mim, esperando que eu fale para ela o nome ...
Isso é errado, teria que perguntar para ela quem é, o que é... O que mais me incomodou foi perceber que esta minha atitude é um certo comodismo. Não quero ter que aguentar ela chorando quando quer alguma coisa, por isso é muito mais fácil falar no lugar dela.
No Portal da Família explica que o estímulo é uma conexão sináptica. Ou seja, quanto mais estímulos, maior o número de conexões que a criança fará. Ou seja, quanto mais estímulo, melhor para a criança.
A revista Claudia trás a reportagem 20 atitudes para seu bebê crescer mais inteligente, que é muito boa para papais e mamães de primeira viagem de beb~es pequeninos ainda. Para a Daniela foi útil até o primeiro ano de vida, que ela aodrava estes estímulos. Alguns ainda são utilizados por nós. Acrescento ainda a sugestão da Shantala aqui do meu bloguinho mesm com imagens. Sempre fiz a shantala na Daniela, era um momento maravilhoso. Até hoje ela gosta muito de ser tocada, massageada. Mas a shantala na idade dela é mais complicada porque ela não fica mais de dez minutos parada!
E no mais, acredito que muitas brincadeiras, histórias gostosas e muita amamentação. Não têm estímulos melhores!
*PS. Daniela não mama mais no seio!

Beijokas

2 comentários:

Ana Laura disse...

Amiga, não se sinta culpada pela falta de estímulos que tem dado à Dani. Por exemplo, no caso de Davi, ele tinha muita dificuldade de falar, até pelo problema da fissura mesmo, e quando chegou aos 2 anos ele não falava quase nada. Eu levei uma bronca do cirurgião e ele me disse exatamente isso, que eu não o estimulava, que antes dele pedir algo, eu já estava dando e que quando ele apontasse para alguma coisa eu o incentivasse a dizer o nome do objeto que ele queria e que quando eu falasse o nome de um determinado objeto, falasse pausadamente para que ele pudesse ler meus lábios. E assim eu fiz, ele desenvolveu bastante. Por isso, não fique se culpando, é só ir estimulando que a baixinha vai disparar a falar...rs. Beijos!!!

Mari_psico disse...

Lú,

Esses "termos" que a Dani "fala", como vc transcreveu no texto, sinalizam 2 coisas bem importantes:
1* - Ela está testando os sons que produz, o que é perfeitamente natural na idade dela...
2* - Sua gatinha pode estar relacionando as coisas a essas palavrinhas que pra ela podem fazer todo sentido...por exemplo,meu irmão qdo pequeno, raramente falava ,"água", mas ele usava um termo que era algo como "abída"...até a gente descobrir foi um Deus nos acuda, pq ele ficava impaciente repentindo o raio da palavra...e ngm dava bola....
Portanto,vc pode pedir a ela que busque determinado objeto, e qdo ela trouxer vc pergunta como chama tal peça, ou ainda usar destas musiquinhas simples, com coreografias como cai cai balão, morar na casinha....
Precisando de material assim, me avisa, pq como boa tia de escolinha tenho mil bugigangas, faceis de preparar....beijinhos